SÃO PAULO

12-15

OUTUBRO

Horário: das 16h às 21h

Local:Condominio Cultural 

Rua Mundo Novo, 342

Vila Anglo SP

http://condominiocultural.org.br/

press to zoom

press to zoom
1/1
coletivos
  • EIA – Experiência Imersiva Ambiental

  • BIJARI

  • ocupeacidade

  • Hub Livre

  • OPAVIVARA

  • GIA – Grupo de Interferência Ambiental

programação

12 de outubro - Encontro presencial no Condomínio Cultural com a apresentação de todos os coletivos convidados para edição paulista, oportunidade em que os coletivos apresentaram o histórico de cada grupo, as estratégias e metodologias de ação e perspectivas. 

 

13 de outubro - Segundo encontro presencial no Condomínio Cultural no qual foi promovido um laboratório de ideias para começar a definir a Intervenção Coletiva Ecossistema Tropical que acontece 4º dia de evento.

14 de outubro - Realização da PesquisAção, uma pesquisa de campo que norteia a Intervenção Urbana Coletiva Ecossistema Tropical. O ponto de encontro foi embaixo do minhocão, no cruzamento da Rua Tupi com a Av General Olímpio da SIlveira, bairro de Santa Cecília SP. O grupo percorreu pelo minhocão com a bike Hub Livre e os guarda-sóis do grupo Bijari. No decorrer do trajeto realizou-se intervenções de grafite urbano. A caminhada teve uma pausa na Praça Marechal Deodoro onde foi instalada uma pequena oficina de artes gráficas e foi debatido o decorrer da intervenção Urbana Coletiva Ecossistema Tropical do dia seguinte.

15 de outubro - Mantendo o mesmo ponto de encontro, Rua Tupi com a Av General Olímpio da Silveira, a Intervenção Urbana Coletiva Ecossistema Tropical percorreu todo o minhocão, por baixo, até o Largo do Paissandú. No Largo foi feita uma parada estratégica com a bikeHub Livre onde vários transeuntes participaram da ação. O percurso de retorno para o ponto de encontro inicial foi feito por cima do minhocão.

Uma casa habitada de ideias que já́ foi escola, hospital e hoje se dedica a criação e experimentação artística: o Condomínio Cultural. 

Se propõe um espaço de convivência e dialogo entre artistas e agentes culturais, mas também trata-se de um espaço onde a troca de experiências acontece e é promovida, despertando as demais relações sociais e interpessoais. Um lugar de encontros e possibilidades de convivência, onde o compartilhamento do ambiente doméstico e a construção do afeto intensificam e potencializam a criação de propostas coletivas de artistas e coletivos do Brasil e do mundo.